Espírito Santo do Dourado A Praia Dourada do Sul de Minas

A Sample Image

"Desde a última década do século XVII a descoberta de ouro trouxe muitos Bandeirantes Paulistas e aventureiros a esta região de Minas. Os Vales do Sapucaí e do Rio Verde foram vasculhados em busca do metal precioso, incluindo o curso de água ( que mais tarde recebe o nome de Rio Dourado ( por causa do achamento de ouro de aluvião em suas margens), assim como o Córrego Imbiruçu, ambos afluentes do Rio Sapucaí. Homens vindos de São Paulo ( bandeirantes) vasculhavam os grotões e margens de cursos de água em busca do ouro, inclusive nesta região que, antigamente pertencia, até 1838, ao município de Pouso Alegre .Com a atividade mineradora nas margens dos dois cursos de água, que banham o lugar, em época de chuva, a enchente arrastava o areial, proveniente das escavações, para a várzea ( parte baixa). A areia fina, de aspecto claro, proveniente das escavações cercavam a enchente formando uma pequena prainha no sopé do morro, onde mais tarde, se ergueria a capelinha de madeira, coberta de capim- sapê, onde foi colocado a imagem do Divino Espírito Santo, esculpido em madeira, trazida pelos escavadores.O lugar é chamado de Praia do Rio Dourado (Primeiro nome). Ali surge o arraial que , mais tarde, recebe o nome de Espírito Santo do Dourado ( O povoado/arraial: Prainha do Rio Dourado passou a pertencer ao Distrito criado com a denominação de Santana do Sapucay, pela Lei provincial número 138 de 03-04-1838, Decreto Estadual de 14-07-1832 e Lei Estadual número 2 de 14-09-1891, subordinado ao município de Pouso Alegre (Toda a região de Pouso Alegre pertencia a Diocese/Comarca de Campanha. As terras banhadas pelo Rio Dourado e seus afluentes, acrescentadas ao clima agradável da região foram atraindo as pessoas de localidades vizinhas e até de fora do país, como a portuguesa Maria Leal e seu esposo, que possuíam grande quantidade de terras na região dos Campos. Ficou viúva.Os descendentes de Maria Leal foram casando e várias famílias foram se formando como: Mateus, Moreira, Melo, Silvério, Loyola, Franco,Muniz, Borges,Lopes, Pedros.. Além de várias famílias em volta do arraial: Serapião Leal, Silvestre, Morais, Evaristos, Januário/Caetano/Barreiro, Ramos ( São Pedro), Gonçalves (Serra), Alvarenga, Camilo, Silva (Douradinho), Pereiras, Malaquias, Silva ( Imbiruçu/Munho),Fernandes, Faria, Teodoro, Muniz, Franco,Ambrósio, Silva ( Passa Quatro), Prado, Tobias,Cota, Peró,Barbosa, Ramilo ( Santo André), Nicolau, Costas, Pimentel, Machado ( cervo), Souza, Matos, e outros.Registra-se que, em 1895, chegaram, no então arraial, alguns italianos, entre eles, Domingos Gianini, Luís Gianini e José Gianini, que fixaram suas residências e montaram comércio de produtos de todo gênero. ( Misturam-se as famílias) .Assim, foram crescendo as famílias na região, e o arraial foi se desenvolvendo. Por volta de 1911 ( Lei Estadual número: 556 de 30-08-1911 o arraial torna-se distrito. Com esta mesma Lei o Distrito Santana do Sapucay, recebe o nome de Silvianópolis, é elevado a categoria de município, desmembrando de Pouso Alegre e o povoado Praia do Rio Dourado, torna-se Distrito de Silvianópolis ( antigo Distrito de Santana do Sapucay) com o nome de Distrito de Espírito Santo do Dourado. Pela Lei Estadual número 843 de 07-08-1923, o distrito de Espírito Santo do Dourado passou a denominação de, simplesmente, Dourado. Pelo Decreto- Lei Estadual número: 1058, de 31-12-1943 o distrito de Dourado passa-se a ser chamado de Distrito Jangada (por existir na Serra, que circunda o distrito, grande quantidade de madeira própria para fabricação de jangadas). Neste mesmo Decreto- Lei foi criado o distrito de Jacarini ( atual São João da Mata), com terras desmembradas do , então, Distrito de Jangada e anexado ao município de Silvianópolis. Mas, os moradores do então Distrito de Jangada, não concordaram com esse nome. Por causa da grande religiosidade dos moradores do distrito o povo exigiu que a localidade voltasse a ter o segundo nome. Foi editada, então, a Lei: 336 de 27-12-1948, o distrito Jangada volta a chamar-se Distrito Espírito Santo do Dourado, mas, até hoje,o povo chama, carinhosamente, o lugar pelo primeiro nome: Praia.O nome Espírito Santo do Dourado foi dado à localidade em homenagem ao seu padroeiro Divino Espírito Santo e, também, por causa do Rio Dourado ( observe a sílaba do). Espírito Santo do ( Rio) Dourado.Em 1962 começa os procedimentos para desmembrar o distrito do município de Silvianópolis. A oficialização da emancipação política e administrativa se deu no dia 01-03-1963." ( Adalto Luís Leal- Professor de História e Geografia da E.E. Dom Francisco Silva).